Oceanos – belezas

Eles tem um “ jeitinho”  pré-histórico. Mas quem são essas gracinhas?

dugongo1

Esses enormes vegetarianos podem ser encontrados nas águas costeiras quentes
da África Oriental para a Austrália, incluindo o Mar Vermelho, Oceano Índico e Pacífico.
Eles pastam de dia em  gramíneas subaquáticas e a noite, mastigam com os lábios ásperos.

dugongo2

Estes mamíferos podem  ficar debaixo d’água por seis minutos antes de subir à superfície.
Às vezes respiram com a cabeça acima da água.
Dugongos gastam muito do seu tempo sozinhos ou em pares,
embora podem ser vistos em grandes manadas de uma centena de animais.

dugongo3

Dugongs fêmeas têm o seu bebê após  um ano e ele permanece próximo
da sua mãe por cerca de 18 meses, às vezes pegando uma carona em sua costas largas.

dugongo4

Infelizmente, estes animais são alvo fácil para caçadores.
Foram muito procurados por sua carne, óleo, pele, ossos e dentes.
Hoje eles estão legalmente protegidas em todo o seu alcance, mas suas populações ainda estão em um estado frágil.
Fonte-  National Geographic

São similares na aparência e comportamento com os peixe-bois, ambos relacionados com elefantes.

dugongo5

dugongo6

Fotos do livro “Beneath Cold Seas” do fotógrafo David Hall.

david hall capa site

“A faixa do Oceano Pacífico ao largo da costa da Colúmbia Britânica, sofre ameaças como todos os Oceanos
- pesca excessiva, a poluição, tráfego de navios petroleiros, efeitos do aquecimento global …
Nossas ações podem alterar para sempre a vida destes animais. Eles são tesouros biológicos que merecem muito o nosso reconhecimento e proteção.”
David Hall.

david hall1

A costa do Pacífico da América do Norte, da Califórnia ao Alasca apresenta uma vida marinha das mais diversas.
A beleza dos recifes de corais tropicais tem sido tema de muitos livros fotográficos, mas existem muito poucos que se concentram exclusivamente em ecossistemas de água fria.

david hall2

Durante as últimas duas décadas, o fotógrafo baseado em Nova York já fez mais de uma dezena de viagens para o noroeste do Pacífico para documentar a vida marinha da região com sua câmera.
O que o leva a se expor repetidamente a estas condições adversas?

“A resposta está na incrível variedade de invertebrados de muito da vida endêmico-encontrados nessas águas. 
A diversidade de estrelas do mar, caranguejos lithode, nudibrânquios, chitons, anêmonas e medusas é espantosa.
Adicione a isso um número surpreendente de peixes únicos, uma impressionante variedade de plantas marinhas e alguns mamíferos marinhos e você vai entender melhor o meu entusiasmo. 
Mas estes animais e plantas não reconhecem fronteiras internacionais.
Praticamente todos eles também podem ser encontrados nas águas costeiras ao sul e ao norte de British Columbia. Eles são tesouros biológicos que merecem muito o nosso reconhecimento e proteção.”David Hall

david hall3

David Hall ,  é fotógrafo sub-aquático, co-autor de dez livros e detentor de um prêmio do Instituto Internacional de Espécies de Exploração. Autor e pesquisador, cujo trabalho já ganhou inúmeros prêmios.
Suas fotografias foram publicados em dezenas de livros e na maioria das principais revistas na América do Norte e na Europa, incluindo a National Geographic, Smithsonian, National Wildlife, História Natural, Audubon, Serra, Tempo, Ciência, Scientific American, Geo, Terre Sauvage, BBC Wildlifee muitos outros.
Ele é o autor ou co-autor de dez livros anteriores eo destinatário de um prêmio
do Instituto Internacional de Espécies de Exploração.

Vai aqui o link  para um filme de aproximadamente uns 4 minutos, com mais imagens que estão livro. Lindo!

david hall5

Esses bebês …

encontro bebes2

Seria interessante se todo mundo pudesse mergulhar pelo menos uma vez.
Talvez, esse contato com a vida no fundo do mar aumentasse o compromisso em preservar a vida.
Mas como nem todo mundo tem essa oportunidade,
assistir um encontro como  desses mergulhadores escoceses com esses bebes …
É mágico!

encontro beebes

As focas cinzentas que estão nesse vídeo ainda não estão em perigo de extinção ,
mas seus números tem diminuído por conta da poluição,
( os filhotes são extremamente vulneráveis ​​a toxinas de derrames de petróleo),
perda de presas devido ao excesso de pesca e por lesão causada por ingerir plásticos.
Muitas outras  espécies de focas já estão agora na lista de ameaçadas de extinção.