Papo.com animal – na natureza

Eles podem nadar por horas e se alimentam de futos do mar – são os Lobos do Mar.

lobo capa

“Sabemos por estudos exaustivos de DNA que esses lobos são geneticamente distintos dos seus parentes continentais –  
são menores e fisicamente diferentes dos seus homólogos do continente “, diz McAllister,  premiado fotógrafo que  estuda esses animais há quase 20 anos.

lobo4

Vivem ao longo da costa selvagem do Pacífico (Canadá)

lobo2

lobo3

” Também tem um comportamento diferente dos seus parentes. São ótimos nadadores.

lobo5

lobo6

90 por cento da sua dieta são frutos do mar.
¼ da sua alimentação é composta de salmão.

lobo7

Eles são lindos!  Mas o que sabemos sobre esses bichinhos?

O Loris está em grave perigo de extinção.  As  maiores  ameaças à sua sobrevivência  são a perda de habitat e a caça. Seus enormes olhos castanhos e a pele macia fazem deste bichinho, um dos animais mais valorizados como animal de estimação.

Milhares deles são caçados no seu meio natural e vendidos ilegalmente na rua ou em mercados de animais.

lori2new

Loris é um tipo de primata. Há mais de dez espécies diferentes, que habitam as florestas tropicais da Índia, Sudeste Asiático e no Sri Lanka. É um animal de hábitos noturnos. Seus grandes olhos têm uma camada refletora que proporciona uma excelente visão durante a noite. Alimenta-se de carne, insetos, lesmas, pequenos mamíferos, frutas, folhas e vários tipos de ovos.

lori3new

lori4new

É o único primata venenoso. Tem uma espécie de “bolsa” com veneno sob seu cotovelo, usado para a proteção contra os predadores. Quando confrontados com o perigo, ele lambe seu cotovelo e cobre seus dentes com veneno.

 Loris também usa veneno para proteger seus bebês. Tempo de vida da maioria das espécies lé de 15 e 20 anos.

Provavelmente por essa razão, seus dentes são arrancados pelos caçadores para ficar mais fácil de comercializar, provocando a morte de muitos deles pela perda de sangue ou infecção antes de serem vendidos.

lori5new

lori6new

Uma população desconhecida de leões africanos foi  recém descoberta no noroeste da Etiópia.

leao1new

Foi próximo à fronteira do Sudão.
A espécie que está listada como vulnerável, deixou a equipe de pesquisadores com esperança renovada
que a espécie possa sobreviver.

Há apenas um número estimado de 20.000 leões em todo o continente,
abaixo dos 450. 000 que existiam menos de um século atrás.
Doença, perda de habitat e  a atividade humana,
podem fazer com que  esses números possam cair ainda mais no futuro.

 A expedição ao Parque Nacional Alatash, foi liderada por renomados  conservacionistas ,
da equipe do  Dr Hans Bauer, apoiado pela  Wildlife Conservation Research Unit da Universidade de Oxford.

 ”Considerando a relativa facilidade com que foram observados os  sinais dos leões,
é provável que residam em todo Alatash e Dinder”, disse o Dr, Bauer em um comunicado.
“Estes leões podem ser membros de uma sub-espécie com apenas 900 indivíduos vivos. 
Temos de fazer tudo o que pudermos para proteger estes animais e do ecossistema
dos quais dependem, juntamente com todos os outros leões restantes em toda a África,
para que possamos inverter os declínios e garantir o seu futuro.”

leao2new

Estes leões podem ser membros de uma sub-espécie com apenas 900 indivíduos vivos.
Agora que eles foram vistos, os conservacionistas podem trabalhar com os governos da Etiópia e do Sudão
para manter a população do Parque Nacional viva.